Retrato de um Prato: O Tortellini di Valeggio – uma das melhores massas de toda a vida

Repare a delicadeza da massa, e sua finíssima espessura – Foto de Bruno Agostini

O Tortellini di Valeggio sul Mincio é um prato simples, mas grandioso, não apenas por ser uma das coisas mais deliciosas que o homem pode fazer, mas também por ter uma linda História, que remete ao século 13, quando a região tinha muitas guerras entre os seus pequenos feudos. A lenda justifica a tradição da cidade em fazer essa massa tão fina e delicada, como se fosse um lenço de seda (para ler um post em português com detalhes desse enredo antigo, clique aqui).

Variações, com recheios de carne, abóbora, radicchio vermelho, alho poró, espinafre e ricota e manjericão – Foto de Fruno Agostini

 

Diversas lojas produzem e vendem a essa e outras massas, e há dezenas de restaurantes – confiáveis – para se apreciar a receita.

Reprodução de postal – Foto de Bruno Agostini

Tão interessante é o seu sabor, e a sua tradição, que todos os anos acontece na Ponte Visconteo di Valeggio sul Mincio a “Festa del Nodo d’Amore”, quando os vários restaurantes da cidade que se especializaram em servir o prato atendem uma multidão, que ocupa uma mesa coletiva de 600 metros, onde comem aproximadamente 4 mil pessoas. Acontece todos os anos, sempre na a terceira terça-feira de junho, na pequena cidade da região do Vêneto, perto do lindíssimo Lago di Garda, que ganhou fama graças à receita, que segundo a tradição é preparada exclusivamente por mulheres, de preferência reunindo ao redor da mesa onde a massa várias gerações.

São muitos restaurantes e lojas vendendo a massa: escolha esse lugar para comer, vai por mim – Foto de Bruno Agostini

É assim que acontece no restaurante Alla Borsa, que me indicaram ser o melhor para provar o prato, e depois daquele antológico almoço é impossível não acreditar: pode alguém fazer uma massa tão boa quanto, melhor nunca jamais em tempo algum.

O salão do restaurante familiar, que reúne três gerações de cozinheiras – Foto de Bruno Agostini

– Aqui na nossa cozinha trabalham três gerações de mulheres da família. A nonna, a matriarca, junto a sua filha e a sua neta, que hoje tem 13 anos, e já começa a aprender os segredos da receita – diz a garçonete que nos atende, servindo um refrescante Cavalchina Bianco di Custoza, que tornou a experiência daquela tarde quente de sol ainda mais agradável e inesquecível (outro vinho local que é tradicionalmente servido com o Tortellini di Valeggio é o tinto Bardolino, leve e versátil, sempre bom com variados tipos de comidas locais).

A fachada do restaurante – Foto de Bruno Agostini

É uma dessas comidas que valem uma viagem. Uma vez no Vêneto, não deixe de provar o prato. No Alla Borsa, de preferência, por favor.

Decoração com “pratos da boa lembrança” italianos – Foto de Bruno Agostini

A receita parece simples, uma massa recheada de carne, com molho do próprio cozimento. Porém, é nesta simplicidade que moram os segredos.

Sim, queijo parmesão ralado, por favor – Foto de Bruno Agostini

– O recheio é preparado com três tipos de carne. Galinha caipira, vaca e porco, num tempero que leva principalmente cebola, louro, noz-moscada, aipo, cenoura e alecrim, além de vinho Bardolino e um pouco de pão, para dar a liga. Depois de longos cozimentos, que varam a madrugada, desfiamos a carne com cuidado. Abrimos a massa, muito fina, e recheamos com as carnes já misturadas, e fechamos com delicadeza, dando um nó. Só as mulheres conseguem fazer tão delicadamente assim. É um artesanato. Só passamos a manteiga e sálvia, para finalizar antes de servir – explica a garçonete, lembrando que a massa também pode ser servida “in brodo”, ou seja, no caldo.

O resultado é uma massa translúcida, o ápice da delicadeza, com recheio igualmente delicado. Aquele perfume de carnes, manteiga e ervas. Nem precisava, mas uma chuva de queijo parmesão ralado na hora torna tudo ainda mais espetacular.

O tortelli di ricotta e erbette al burro e sálvia estava delicioso – Foto de Bruno Agostini

Aproveitando o talento das mulheres da família para preparar massas recheadas, o nosso menu teve mais duas, muito boas, mas o Tortellini di Valeggio é único e insuperável. E aí entendemos a sua fama. O tortelli di ricotta e erbette al burro e sálvia estava delicioso.

De abóbora ao ragu: fantástico – Foto de Bruno Agostini

E melhor ainda foi o tortelli di zucca al ragout, uma massa recheada de abóbora ligeiramente adocicada, como já comi muitas vezes (é um clássico da Serra Gaúcha, chamado “tórtei”: para ver uma receita, clique aqui), mas jamais com molho de carne, tipo um bom bolonhesa. Combinou, e muito.

A cidade é simpática, e só o tortellini já vale a viagem – Foto de Bruno Agostini

Depois, vale a pena fazer uma caminhada através da Ponte Visconteo, para explorar o Borghetto di Valeggio sul Mincio, simpática cidadela medieval.

SERVIÇO
Ristorante Alla Borsa: Via Goito 2, Valeggio sul Mincio. Tel. (39) 045 795-0093. www.ristoranteborsa.it

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *