Amador: Cozinha Entre Amigos – Um banquete árabe harmonizado para poucos e bons

Charutinho de repolho: esse caldinho aí, que delícia – Foto de Bruno Agostini
AMADOR: COZINHA ENTRE AMIGOS
Já me chamaram de chef e também de enólogo.
Mas não sou nenhuma coisa, nem outra. Sequer sou cozinheiro profissional, o máximo que podem me chamar é de amador. Enólogo é quem faz vinho. Eu sou enófilo, com várias formações de sommelier, mas não me considero o tal, porque não trabalho no setor, mas com jornalismo gastronômico – há 20 anos.
Mais que apenas escrever sobre o assunto, gosto de estudar provando. Cozinhar, para mim, além de prazer, é observar o grau de dificuldade de um prato, e tentar reproduzir certas técnicas. Isso ajuda a avaliar o trabalho da cozinha de um restaurante. Como enófilo dedicado ao tema, também passei os últimos anos viajando para regiões vinícolas, provando vinhos e fazendo as mais diversas experiências sensoriais entre vinho e outras bebidas e a comida.
Outro prazer que tenho é receber amigos em casa, para nos reunirmos na cozinha em torno do fogão a lenha, ou da churrasqueira. E passarmos a tarde proseando, quase sempre sobre comidas, bebidas, viagens – sempre com interesses gastronômicos – bares e restaurantes, e outras coisas relacionadas.
Junto isso tudo, e com certa inspiração de amigos como Manu Zappa, do incrível Prosa na Cozinha; Rita Capell, que recebia com a mãe, em gracioso apartamento em Ipanema, amigos e amigos dos amigos, para noites no Barteliê. Fora o Luiz Horta, com seus eventos incríveis, sob o nome Família Bebe Tudo, e o também mineiro Eduardo Girão, com seus encontros ao redor do queijo. Deco Rossi, que faz um excelente trabalho para marcas de vinhos. E alguns outros.
Como disse, isso tudo junto me fez criar o conceito do Menu Agostini, que não é só um site, mas também um guia de restaurantes (em produção), que faz uma criteriosa seleção de lugares, com “O Melhor do Rio”. A ideia sempre foi criar eventos, criando cardápios especiais nos melhores restaurantes da cidade, mas também em locais alternativos. O primeiro deles será justamente a minha casa, no dia 29, provavelmente, próximo domingo. Em Teresópolis.
Charutinho de abobrinha: maravilha é pouco! – Foto de Bruno Agostini
Numa cozinha onde adoro estar entre amigos, vou receber poucos e bons para um verdadeiro banquete árabe. Teremos muita história para contar. Estou acertando os detalhes do cardápio, mas posso dizer que foi uma das minhas grandes descobertas esse ano. Até amanhã ou domingo apresento o menu, e aproveito para dar a dica de onde cozinha esse grande chef. Nas fotos, os dois melhores charutinhos de minha vida. Foram preparados por ele, e estarão no menu. Fora quibes e esfirras, falafel, coalhada seca, babaganuj… E eu vou escolher uns vinhos para acompanhar, e contar algumas histórias tão saborosas quanto promete ser o almoço
É a estreia de Amador: Cozinha Entre Amigos. Serão vários encontros muito legais. Amador porque é isso. Não se trata de um restaurante, também não é aula de culinária nem curso de vinhos e harmonizações. Embora não deixe de ser um pouco de tudo isso, inclusive porque os eventos serão os mais variados. Vai ter, sim, aula de cozinha, curso de vinhos. Mas é sobretudo uma reunião entre pessoas que gostam de comer e beber. E conversar sobre o assunto.
E espaço, que comporta confortavelmente entre 15 e 20 pessoas, também pode ser alugado para eventos, tanto podemos cuidar da comida, como você pode cozinhar para os amigos. Temos uma estrutura “caipira”, com fogão a lenha, churrasqueira e forno iglu. Porque adoramos a brasa e a lenha, seu calor, sua fumaça.
Mais informações, in box. São poucas vagas.
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *