Menu Agostini vai decolar, e o embarque é imediato com garfo em punho: afrouxem os cintos

Mas afinal o que é isso? Menu Agostini? Um blog? Um site? Um canal? Uma editora? Um restaurante?

Não deixa de ser um pouco de tudo isso, sem ser nada disso. Tenho gostado de definir como uma revista digital de turismo gastronômico, porque resume melhor do que se trata. Nosso assunto não são viagens comuns. São roteiros montados ao sabor dos prazeres da boa mesa. Farejamos não apenas os melhores restaurantes, mas também os bares mais ordinários, que muitas vezes – quase sempre – rendem ao menos boas histórias. Cafés e padarias, vinícolas e  cervejarias, alambiques, escolas de culinária agricultores e pecuaristas, queijeiros, escritores, e qualquer tipo de viajante guloso e sedento, e todos aqueles que apreciam este universo saboroso. É é a nossa pauta, e a nossa matéria-prima. As pessoas, as histórias, os lugares, os métodos. Chamam isso de terroir. Pode ser. De fato é.

Mas porque uma “revista digital”. Simples. Isso porque na hora de pensar no projeto como um todo eu me inspirei muito mais em sites de revistas brasileiras e estrangeiras, tanto as de viagem quanto as de gastronomia. Porque, para mim, viajar é mais do que tudo comer e beber, provar coisas novas, andar por cidades perguntando pelo cardápio local, e porque se come isso, e se bebe com isso por quais razões. E eu faço isso desde sempre. Viajar com interesse no alimento local. Há quase 20 profissionalmente.

Vou reunir aqui essa contínua busca por boas histórias e indicações, e além de reportagens, notas, notícias e comentários sobre esses assuntos que podem entrar no ar a qualquer hora, o Menu Agostini tem duas colunas diárias, de segunda a sexta, tratando especificamente de certos temas. Será assim (e em cada página explico mais sobre cada coluna).
Segunda tem o “Vinho da semana” e uma curta “Agenda”, com uma seleção de eventos especiais nos próximos dias. Terça é dia “De bar em bar”, um passeio pelos melhores balcões do mundo, e “Lugares devorados”, uma coletânea de lugares legais reunidos em determinado espaço, pode ser uma rua, um bairro, uma cidade, uma região (um roteirinho de viagem, em resumo). Às quartas temos “Cozinha em revista”, uma crônica sobre algum restaurante, e “Cerveja de bandeja”,  nome autoexplicativo. Às quintas é a vez de um assunto que ainda conheço pouco, coquetelaria e “espirituosos”. Ótima razão para pesquisar e convidar amigos a colaborar em “Destilado do balcão”, que divide a pauta do dia com “Retrato de um prato”, sobre alguma receita clássica. Por fim, na sexta, “Cama e Mesa” fala de restaurantes em hotéis e pousadas (a hospedagem pode até não ser das melhores, mas a comida, sim, tem que ser altamente recomendável). Além disso, sexta é dia de “Rio de Janeiro a Dezembro”, retorno do blog, que agora é parte deste projeto, e também o embrião do guia que pretendo lançar no próximo ano. Além de crônicas, notícias, galerias de imagens e outras reflexões e retratos da cena gastronômica carioca, faremos muitas e muitas listas, com o melhor da cidade.

Há outras hashtags. “Food News”, com as novidades na área, “Disney Para Maiores”, um assunto pouco explorado e que acompanho há anos (note que, no caso, maiores é acima de 21): comer e beber nos parques de Orlando (e nos outros também).

Junto a isso tudo, em parceria com produtoras de vídeo e editoras, agências de marketing e comunicação, de distintos perfis, este Menu Agostini é também uma central colaborativa de produção de conteúdo gastronômico, reunindo muitos dos melhores profissionais da área – de fotógrafos a diretores de TV, roteiristas, desenvolvedores de sites e aplicativos, fotógrafos,  consultores, fornecedores de matéria-prima, entre outros. Alfaiataria de comunicação, com projetos sob medida. O primeiro projeto de que participei nesta nova fase é orgulhosamente o livro que está sendo lançado hoje pelo chef Claude Troisgros, em São Paulo (quinta no Rio). Tive a honra de colaborar como editor.

Bem, resumindo, é isso.

Essa semana ainda estou arrumando a casa, processo que deve ir até o final do mês, quando terei o desenho definitivo, depois dessas primeiras publicações.

Embarque imediato, garfo em punho. Afrouxem os cintos.

1 comentário
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *