O que são ostras depuradas? (Agora a Churrascaria Palace serve apenas as que passam pelo processo)

As ostras da Fazenda Marinha Rota do Sol chegam três vezes por semana ao restaurante – Foto de Bruno Agostini

As ostras, assim como outras conchas que estão entre as mais cobiçadas iguarias, como mexilhões, sururus e vieiras, são moluscos bivalves.

Eles se alimentam filtrando a água do mar  de onde tiram os seus nutrientes. Assim, os mariscos precisam de um ambiente limpo, para que não se contaminem – não comam ostras tiradas diretamente da Baía da Guanabara  por exemplo. Se consumidas cruas, como é o caso das ostras na maioria das vezes, o risco é ainda maior – e muito maior.
Além disso, muitas vezes carregam pequenos detritos, como grãos de areia, que são bem desagradáveis se consumidos com elas, daí a importância do processo de limpeza das conchas.
Com o propósito de combater possíveis bactérias ao mesmo tempo em que limpa impurezas físicas e o trato intestinal dos animais, foi desenvolvido o processo de depuração, já praticado em muitos países, mas novidade relativamente recente no mercado brasileiro, para o cultivo comercial desses moluscos.
Desde ontem a Churrascaria Palace, que recebe três vezes por semanas os carregamentos da Fazenda Marinha Rota do Sol, em Santa Catarina, passou a servir apenas ostras que passam pelo tratamento, de esterilização e limpeza.
O sistema é simples e eficiente, e garante a chegada de ostras livres de bactérias e sujeiras como grãos de areia.
Em grandes tanques com 3 mil litros de água do mar, levada até os armazéns de manipulação da empresa, as ostras são colocadas, para um período de 44 horas. Neste tempo, a luz ultravioleta mata possíveis bactérias, o animal esvazia o intestino naturalmente e acontece, ainda, um processo de filtragem física, removendo resíduos sólidos.
Feliz com a notícia. Porque não abro mão das ostras quando vou à Palace. Brinco de harmonizar com vinhos, cervejas e até mesmo coquetéis, como Bloody Mary (fica excelente, prove).
Na última segunda eu participei de uma farra digna de Nababo, ao receber o amigo bom de garfo e de copo Bond Boteco, o figuraça registrado como Marcos Bonder. Foi uma tarde da pesada, que só terminou altas horas da noite. Poderia continuar tratando do assunto neste post, mas vou encerrar por aqui, detalhando um pouco deste almoço em algum momento deste carnaval.
1 comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.