Viagens e destinos, cidades e desejos: rascunhos da espera de um voo

Vista do hotel Shangri-La, em Paris: dos lugares amados – Foto de Bruno Agostini
Não sou colecionador de lugares, gosto de voltar aos mesmos de sempre: Nova York, Paris, Buenos Aires, Búzios, Paraty, Tiradentes, Salvador… entre tantos outros destinos queridos e frequentes. A Serra Gaúcha, Santiago e as suas vinícolas…
Porém, como qualquer um, cultivo minha lista de desejos. De visitar territórios onde jamais pisei. Nunca digo que vou conhecer uma cidade ou país. Eu visito. Conhecer um lugar é morar nele. Mesmo assim é difícil “conhecer” um lugar. Poucos cariocas conhecem o Rio de verdade.
Entre esses lugares que sonho visitar está Chicago. Aliás, gosto de visitar cidades. Se quero praia, me basta Ipanema, se quero montanha, Teresópolis é meu norte.
Gosto do urbanismo, da muvuca, de me deslocar andando enquanto fotografo. De me programar para ir a um restaurante, e no caminho me desviar para um bar só porque achei simpático.
No fundo, no fundo, nunca viajei para visitar países. Saio de casa em busca de gente, de comida e de bebida, de histórias e experimentações, de novidades e surpresas.
Viajar é isso.
Mentira, já viajei para visitar países. Fiz Portugal, certa vez, de Leste a Oeste, de Norte a Sul. Não que seja missão difícil, é pequena esta grande e deliciosa nação. Mas não faria de novo, ficaria em Lisboa ou no Porto, com incursões aos arredores se desse vontade.
Resort não é comigo, a não ser que seja vínico, desses com SPA que serve vinho em forma de banho. Cruzeiro muito menos, a não ser em lugares frios: ainda navegarei no Alasca, no Mar Báltico e na Antártica. No Mediterrâneo dispenso, em Santos mais ainda. Caribe? Nem de graça.
Hoje, no fundo, queria viajar para ficar em apenas um bairro. Tipo Palermo, em Buenos Aires; Brooklyn, em Nova York; Roma, na Cidade do México; e Botafogo, no Rio, se não fosse carioca residente.
Também não tenho vergonha de dizer. Adoro ir para Orlando, ainda mais com a filha, onde eu me divirto aos baldes, e onde como sempre muito bem (basta ver os posts deste link aqui).
No futuro imagino que vou viajar não para visitar um país, uma região, uma cidade ou mesmo um bairro. Nem as mais miúdas vizinhanças. Quero, sim, passear por um restaurante apenas, como justificativa para pegar a estrada. Ou um bar, uma pessoa, uma bodega ou cervejaria. Uma feira ou mercado. Uma destilaria ou queijaria. Padarias, açougues e mercearias me interessam muito mais que o Louvre ou a Muralha da China, ou a Grande Barreira de Corais. E as feiras são tão essenciais quanto o oxigênio e a boa música.
Sou mais humilde que um PF, mais direto que um CAOL, porém, admiro a beleza do Romanée-Conti, do Boulud e do grupo Fasano.
Porque gosto das coisas simples da vida, e também das caras. Desde que sejam muito boas.
Pizza estilo napolitano da Stella Barra, no Lincoln Park, em Chicago – Reprodução do site www.choosechicago.com
Tudo isso para dizer que estou a caminho de Chicago, uma das cidades que queria muito, e há tempos, visitar. Assim como Dublin (folk, beer, celtic), Bruxelas (lambics e ales), San Sebastián (preciso explicar?), Osaka (comida, cultura e sei lá mais o quê), Hong Kong (Inglaterra + China), Macau (Portugal + China), TelAviv (sou de Ipanema e senti um clima legal por lá), Beirute (maior amor pelo Líbano), Nápoles (pizza, Vesúvio, Aglianico e Fiano di Avellino), Bogotá (Colômbia me atrai) e Cingapura (comida de rua), isso para ficar numa lista espontânea de lugares desejados, de lugares que quero devorar.
O primeiro deles estou chegando.
… Bem, esqueci de Seul, Budapeste, Moscou, Teerã e tantas outras. Sorte é que teremos tempo para isso.
P.S. – Escrevi este texto enquanto esperava meu voo, ontem, do Santos Dummont para Guarulhos, onde embarcaria para Chicago. Mas todos os pousos e decolagens foram cancelados no fim da tarde em diante, de modo que o caos se instalou. Passei meu voo para amanhã. Então, nossa jornada nesta cidade que tanto me apetece começa amanhã. A propósito: estou indo entre outras coisas para cobre um evento gastronômico, o Chicago Gourmet, que acontece no Millennium Park.
2 commentários
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *