Agenda: Ricardo Lapeyre e Monique Gabiatti cozinham juntos na Tasca Filho da Mãe

O chef Ricardo Lapeyre recebe Monique Gambiatti na quinta. Menu a R$ 185 – Foto de divulgação

Dois craques da cozinha carioca se unem para um jantar a quatro mãos, para festejar os quatro anos da casa. O restaurante, parte do muito interessante centro gastronômico do Vogue Square, na Barra, é uma casa carioca de alma portuguesa, com certeza. Os chefs Monique Gabiatti e Ricardo Lapeyre criaça menu especial, que será servido na próxima quinta-feira, dia 3 de dezembro, a partir das 20h. A inspiração é a culinária portuguesa, temperada com toques contemporâneos.

– Sempre frequentei o restaurante, bem antes de iniciar a parceria com os sócios e estou muito honrado em assinar o cardápio e de fazer parte dessa comemoração de aniversário. Uma casa cheia de histórias boas para contar”, diz o chef Ricardo.

O jantar começa com vôngoles à Bulhões Pato ,com pão filãozinho de fermentação natural, uma interpretação de Gabiatti para um dos mais tradicionais molhos da cozinha lusitana.

A noite prossegue com os pratos principais, releituras de duas verdadeiras instituições portuguesas: lombo de bacalhau, caponata do chef e mousse de batata baroa, assinado por Lapeyre, seguido por um arroz de pato com supreme de laranja e farofa de paio, criação de Monique Gabiatti.

E para terminar, toucinho do céu com chantilly de café, de Ricardo Lapeyre.

Custa R$ 185 e as reservas podem ser feitas pelo telefone 3030-9080

3 commentários
  1. Ricardo Lapeyre é cracaço em comida francesa. Mas o convite do Ricardo Amaral fez com que acabasse o restaurante magnífico do edifício RB1. Pior: o restaurante no Vogue Square deu com os burros nagua. Estaria o Ricardo em algum restaurante atualmente?

  2. Quando ele era chef do Laguiole nunca fui. Motivo: a comida ser contemporânea demais. Mas sei que era elogiadíssimo. Mas na Brasserie Lspeyre fui diversas vezes. De Brasserie não tinha muita coisa. Era sim um tremendo restaurante, onde ele transformava a culinária francesa tradicional quase em haute cuisine. Um espetáculo. Mas aí veio o Ricardo Amaral, bolou aquele projeto que incluía também o pai, Claude Lapeyre, e ficamos sem nenhum dos 2 restaurantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *