Cerveja de Bandeja: Backbone Dorival Caymmi, “onde o rio é mais baiano”

A Backbone + Caymmi, deliciosa Pilsner lançada na semana passada – Foto de Bruno Agostini©

Dorival Caymmi é a Bahia em pessoa. Mas, em seus 94 anos de vida, 70 deles ele viveu no Rio, onde chegou em 1938.Morador de Copacabana, onde está imortalizado em uma estátua em Copacabana, no Posto 6, o cantor e compositor já teve parte de uma de suas canções gravada em garrafas de cerveja da Antárctica, 2016, nas comemorações dos 100 anos do samba: “Quem não gosta de samba / Bom sujeito não é / É ruim da cabeça / Ou doente do pé”.Mas não há registros de que seria um apreciador da bebida, nem que não seria. Isso não importa.
Fato é que a cervejaria carioca Backbone, cuja produção, antes terceirizada, é feita na fábrica instalada há alguns meses em Visconde de Mauá, acaba de lançar um novo rótulo, em homenagem ao autor de “Samba da Minha Terra”: a Backbone Dorival Caymmi é uma Pilsner, com alta classe, com lúpulos bem marcados, elegante e delicada, refrescante e com bom equilíbrio entre malte e amargor, com belíssima coloração típica do estilo, dourada e brilhante e excelente formação de espuma, densa e bem estável. Resumindo, uma delícia mesmo para quem, como este apreciador de IPAs, Sours e potentes stouts, não é dos maiores fãs de Pilsner. Mas essa é bem acima da média.

Fora isso tudo, o rótulo é dos mais lindos. Ainda mais para quem, como eu, é MUITO fã de Caymmi.

Como diz a letra da música “Nação”, imortalizada por Clara Nunes: “Dorival Caymmi falou para Oxum / Com Silas tô em boa companhia / O Céu abraça a Terra / Deságua o rio na Bahia”.

Custa R$ 15,90, no site do Zona Sul (www.zonasul.com.br). E já pode ser encontrada em restaurantes como a Churrascaria Palace, onde aconteceu o lançamento, na semana passada.
Provem e me digam.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.