Cama e Mesa: risotos e milanesas no ESPETACULAR) hotel e restaurante Cinzia, em Vercelli no Piemonte

Costeleta de vitelo à milanesa, do La Cinzia, em Vercelli: espetacular – Foto de Bruno Agostini

Sim, é um clichê: viajar em buscar das raízes familiares. Já fiz isso, recomendo.

Numa viagem ao Piemonte, pela região de Alba, inventei uma escapada até o Lago d’Orta, só porque – no caminho – eu poderia passar um dia em Vercelli. Para quem gosta de comer, a cidade é a capital italiana do risoto, cercada por plantações de arroz do tipo carnaroli (ou vialone nano, esqueça o arbóreo, por lá considerado desprezível, teoria com a qual eu concordo).  Para mim, é a terra natal de Ângelo Agostini, meu admirado tataravô – foi, mas não foi, coincidência escrever sobre ele em plana Dia da Consciência Negra (era abolicionista, republicano e desenhista – e jornalista também, porque ninguém é perfeito).

Fato é que eu me decidi por esse roteiro por conta dele, e não por conta de meu apreço pelos risotos. Mas isso contribuiu para este dia ser dos mais marcantes.

Fui pesquisar sobre hotéis e restaurantes em Vercelli, e logo surgiu um que se destacava – e muito – dos demais:  Ristorante Cinzia Christian & Manuel. Resumindo, era um hotel familiar, cuja cozinha foi assumida por dois irmãos, filhos dos donos, que revolucionaram o lugar, preparando aclamados risotos e outros pratos do norte da Itália, como milanesas.

Meti o endereço no navegador e lá fui eu, já pensando no almoço enquanto digeria o café e dirigia sempre pressa ao encontro de raízes piemontesas da famiglia Agostini. Cheguei, e confesso que o prédio meio feioso não me entusiasmou.  Mas… ninguém tem estrela Michelin á toa, e no caso eles têm uma… Não confio muito na Veja, no Globo, e nem no Michelin brasileiro, mas nas outras  edições do “guide rouge”, sim, eu confio e faço dele uma referência em minhas viagens.

Ah… Mas o restaurante… Peguei o menu e já comecei a delirar, meio que perdido, sem saber o que pedir. Eram tantos os risotos, entre receitas tradicionais e fórmulas autorais que sofri um pouco para escolher.

O ambiente do salão era elegante, com mesas grandes e bem espaçadas entre elas, e o serviço me chamou a atenção, pela eficiência e discrição. Souberam sugerir pratos e vinhos adequados ao orçamento e paladar, e também aos pratos escolhidos.

Risoto de coelho com foie gras do La Cinzia: o melhor! – Foto de Bruno Agostini

Escrevi assim, numa reportagem, á época:

“VERCELLI:  RISOTOS NA TERRA DO ARROZ
Por Bruno Agostini

Vercelli – Uma razão simples me levou até Vercelli. Foi lá que nasceu meu tataravô, Ângelo Agostini. Agora, quero voltar à cidade. Não só pela história da família, mas também porque o restaurante Cinzia me proporcionou duas refeições memoráveis, daquelas que sonho em repetir. Além do que, Vercelli é um lugar com centrinho antigo agradável, arquitetura bonita, muitos artistas de ruas e galerias de arte, feiras e mercados, e lojas gastronômicas realmente incríveis. Sem falar que é a capital do arroz, e para os que gostam de um belo risoto, um destino desses obrigatórios.

A caminho de Vercelli, independentemente do GPS, fica fácil saber que estamos chegando: a cidade é cercada de plantações de arroz, e à qualidade dos grãos cultivados ali se deve grande parte da fama atual do lugar.

Orientado pelo guia Michelin, que lhe concede uma estrela, resolvi ir direto almoçar no restaurante Cinzia da Christian e Manuel, na entrada da cidade. O lugar nasceu como hotel, em 1967. Em 2005, os irmãos Christian e Manuel Costardi abriram no térreo do prédio um restaurante especializado em… risotos. Mas a cozinha deles vai muito além do carnaroli.

Salão elegante, serviço impecável – Foto de Bruno Agostini

Cheguei para almoçar pouco depois do meio-dia, e logo o salão estava cheio: uma mesa com família completa, pai, mãe e três filhos pequenos; um grupo de quatro senhores engravatados que parecia estar em saborosa reunião de negócios, um jovem casal que tirava fotos de cada prato. O restaurante é frequentado por um público bem variado.

Uma garçonete bonita e simpática cuidou de mim. Trouxe pães quentinhos, para começar, e escolheu belos vinhos para acompanhar a refeição.

Panissa: arroz com feijão á moda do Piemonte – Foto de Bruno Agostini

O cardápio tem uma seleção ampla de risotos, entre receitas clássicas e outras de perfil autoral. Para o almoço, escolhi uma receita tradicional na região, a panissa, o “típico risoto vercellese”, como anuncia o cardápio, um risoto com feijão, vinho tinto, toucinho e linguiça, com sabor, cremosidade e ponto de cozimento perfeitos de todos os ingredientes. Em seguida, veio a cotoletta alla milanesa, um clássico importado de Milão, que dificilmente pode ser tão gostoso em outro lugar. Carne macia e saborosa, úmida, com o empanado crocante e delicado, leve e sequinho, com toque de flor de sal, acompanhado de tempuras de vegetais da estação. Resolvi não apenas me hospedar ali como também decidi que voltaria para jantar — repetir restaurantes numa mesma viagem é algo que quase nunca faço, mas aos encantos da cozinha do Cinzia não pude resistir.

Sobremsa gelada: ótimo sorvete, sempre, na Grom – Foto de Bruno Agostini

Fui passear pela cidade. A Piazza Cavour é o epicentro da vida social, cercada de bares, lojas e cafés com varandas convidativas para um aperitivo. Jovens e famílias ocupam a praça. Padarias, chocolaterias e rotisserias apresentavam ótimas iguarias de bela aparência. Resisti a quase tudo, menos ao sorvete de caqui da Grom.

Voltei para ao Cinzia para o jantar. Com muita dificuldade, escolhi um risoto da linhagem criativa, de coelho com foie gras e fonduta de queijos piemonteses. Para acompanhar, pedi um lindo Barolo Massolino 2000.

— Uso o foie gras no lugar da manteiga, para dar cremosidade — explicou o chef Christian, ao final do jantar.

Em resumo: nunca comi risoto melhor na vida. Preciso voltar a Vercelli.”

SERVIÇO
Cinzia da Christian e Manuel: Diárias a partir de € 80. Corso Magenta 71. Tel. (0161) 253-585. hotel-cinzia.com

 

1 comentário
  1. Bruno, voce não quer que eu emagreça. Vercelli!!! Que maravilha. Espetáculo! Fui 2 vezes a Italia. Conheço Nápoles, Roma, Lucca, Castiglione di Garfagnana (ambas próximas e terra da familia paterna. Come-se maravilhosamente em Lucca), Firenze, Pisa, Bologna, Spello e Perugia. Tambem outra cidade antiquissima da Umbria, mas nao lembro o nome. Só maravilhas. Parabéns pelo texto. Vercelli stá nel mio cuore e nella mia mente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *