Seleção Carioca, o melhor do Rio: três pastéis de camarão na Barra que você precisa provar

O pastel de camarão de tempero baiano do Mirante da Prainha, com direito ao barulho das ondas do mar – Foto de Bruno Agostini®

Trabalhando na promoção de Vinhos Verdes nos últimos meses, por razões naturais tenho visitado muitos restaurantes dedicados aos peixes e frutos do mar. Ô, sorte.

 

Camarão, jambu, tucupi e pimenta: versão paraense no essencial Pescados na Brasa (em breve tem resenha no site) – Foto de Bruno Agostini®

A lista é ampla, variada, e vem crescendo semanalmente, para a minha felicidade, inclusive. Há lugares entre novidades muito recentes, como o Sabor das Águas, de Marcelo Malta, e o Ocyá, de Gerônimo Mathuel, e outras nem tanto assim, como o Pescados na Brasa, da paraense Adriana Veloso, amor de pessoa – com seus três anos de sucesso total.

Os pastéis de bacalhau do Rancho Português, na Lagoa, onde reina a tradição – Foto de Bruno Agostini®

E, também, por motivos igualmente óbvios, as casas portuguesas, com certeza. Sem falar nas churrascarias – já provou porco com um vinho branco bem fresco, com acidez eletrizante, como são os exemplares dessa denominação do Minho, no Norte de Portugal? Assim como os japoneses e orientais.

Quando abro uma garrafa de Guiguas branco, ou mesmo do Compromisso, eu logo penso num pastel de camarão, para começar, apimentando tudo com as boas pimentas que esses lugares devem ter pelo cardápio que apresentam. Ou numa casquinha de siri. Também em ostras.
Circulando muito pela Barra da Tijuca eu provei, recentemente, três pastéis de camarão exemplares, no Bar do Cícero, na Ilha da Gigoia, no Canto Alegre, na Barrinha, e ainda ontem, no Mirante da Prainha, encravado nessa deslumbrante reserva ambiental do município. São três lugares descontraídos, todos na Barra e Grande Barra, o que inclui a região de Grumari, Vargem Grande e Guaratiba. Com o Metrô do Jardim Oceânico está muito fácil chegar.
O que posso dizer é o seguinte: #vaipormim
Visite essas casas, peça um Guigas ou um Compromisso, uns pastéis de camarão e seja feliz.
Afinal, hoje é sexta.
E merecemos, não é verdade?
Bar do Cícero: Este boteco é o pioneiro na Ilha da Gigoia (na verdade está na Ilha Primeira, menos badalada e mais residencial). Foi inaugurado em 1998, e serve pastéis realmente muito bons. Tem os maiores camarões, bastante Catupiry, alcançando um resultado memorável, de modo que sempre que vou lá eu peço os meus. Destacaria, ainda, a porção de trilha grelhada. De modo geral, come-se pescados por muito bem ali. Poderia sugerir, ainda, a manjubinha frita, o polvo ao alho e óleo e o bobó de camarão.
Ilha Primeira, s/nº. Tel.: 21-96675-9838. Instagram: @bardocicero
A massa passa na farinha de trigo, o recheio é farto e a pimenta, da casa é da boa – Foto de Bruno Agostini®
Canto Alegre: Outro endereço histórico da gastronomia da Barra, que está na Barrinha desde 1968, reunindo hoje três gerações da família portuguesa que fundou a casa. Consegue ser uma um dos melhores lugares do Rio para se comer vários pratos de bacalhau, muitos deles com postas de Gadus Mohua assadas na brasa que crepita forte junto ao salão, ao mesmo tempo que tem um cardápio amplo, típico dos antigos botecos e restaurantes tradicionais do Rio. Poderia perfeitamente figurar no Rio Botequim ou no Comida di Boteco, com seu monumental polvo ao alho e óleo, seus camarões empanados no Catupiry, suas ovas na brasa e manjubinhas fritas, seu frango à passarinho, seus espetinhos de coração e sopa Leão Veloso, isso sem entrar na lista de pratos principais (mas é claro que tem medalhão ao molho Madeira com arroz à piemontesa). A história deste pastel eu contei neste post aqui.
Praça Desembargador Araújo Jorge, Barrinha. Tel.: 2494-0825. Instagram: @restaurantecantoalegre
A porção com vista para o mar servida no Mirante da Prainha – Foto de Bruno Agostini®
Mirante da Prainha: Acho que foi em 1998, quando o Cícero abriu o seu deque na Ilha Primeira, que eu visitei este antigo e tradicional bar pela última vez. O lugar é especial, rodeado pela verde desta notável área de preservação ambiental que quase virou um resort. Está ali, no canto direito, com vista privilegiada para o mar, chão de areia, móveis rústicos, equipe simpática, como o Tião da Praia, que comanda o braseiro de onde saem robalos anchovas, chernes, pescadinhas e os peixes que as redes e anzóis mandaram. O pastel de camarão tem um tempero baiano, que parece ter leite de coco e dendê, em quantidades moderadas, um creme resultado de um caldo bem-feito com cabeças e cascas do camarão, e aquele toque de coentro necessário. Fazer isso escutando as ondas quebrando é comovente. Já quero voltar
* Avenida Estrada da Guanabara 689, Recreio dos Bandeirantes. Tel.: 21-97639-5464. Instagram: @mirantedaprainha
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.