Ramal 33: conexão entre os melhores botecos do Rio nasceu em forma de cerveja

A cerveja é fruto da união de 13 bares cariocas – Foto de Bruno Agostini®

A cerveja foi batizada de Ramal 33, por Luiz Antônio Simas, em homenagem a uma antiga linha de trem suburbana, que saía da Central do Brasil, que é destacado no rótulo. Instagram: @ramal33cerveja

Na composição foram subindo muitos dos melhores bares do Rio: Bar da Frente, Bar da Gema, Bar do Momo, Bar do Bode Cheiroso, Bar Madrid, Bar da Portuguesa, Cachambeer, Costelas, Dida Bar, Liga dos Botecos e Noo Cachaçaria.

O trem partiu há duas semanas, no lançamento que aconteceu em noite concorrida no Bar da Portuguesa, de onde sinto saudades e preciso voltar urgente.

Considerando que a Liga dos Botecos contempla um quarteto, além do bares da Frente e do Momo, também integram associação o Cachambeer e o Botero, são 13 botecos envolvidos, ao todo, no projeto. Timaço. Número da sorte.

O rótulo divertido traz referências de cada um deles, e é quase um passatempo boêmio identificar no desenho cada uma dessas casas que se uniram neste trem tão carioca.

Por enquanto a cerveja, produzida pela Ambev, só é vendida nessas 11 casas, por cerca de R$ 16. É uma lager no estilo dessas mais vendidas no Brasil, loura e com boa carbonatação, com ligeiro traço de lúpulo pouco acima da média, o que a aproxima de uma Heineken, por exemplo, ou uma Beck’s, pra falar do portfólio da Ambev. Com 5,3%, também tem um pouco a mais de álcool do que se vê em lagers do “mainstrean”.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.