As 100 delícias do Leblon, parte 5: os franceses e os ibéricos

Ops…

Na nossa lista de italianos, faltou lembrar do Stuzzi, que adoro. Agora instalado do outro lado da rua, este bar de petiscos, comidinhas italianas e coquetéis tem no comando a chef Paula Prandini, também do Empório Jardim, cuja comida é puro conforto.

Franceses? Espanhóis? Também não faltam. Portugueses podemos considerar que são representados mais por casas tradicionais “ibéricas”. Sentimos a falta do Antiquarius, mas lembramos que na nossa seleção do Shopping Leblon ainda esquecemos de listar um local que também recomendamos: o quiosque dos Doces Conventuais, irresistíveis.

Torrada, terrine e picles: por Pedro de Artagão – Foto de Bruno Agostini

Falando de França, além dos Troisgros, que abriram essa série de posts, eu encontro no Leblon um dos restaurantes franceses de que mais gosto: o Formidable Bistrot, que é bom para café da manhã, brunch, almoço, lanche e jantar. Numa portinha, há uma deliciosa padaria, onde encontramos doces e uma série de produtos irresistíveis. No menu do restaurante, clássicos franceses revisitados pelo chef Pedro de Artagão.

Empada de cavaca, no Azur: melhor quiosque – Foto de Bruno Agostini

Com nome e decoração inspirado na Côte d’Azur, e também pertencente ao chef Pedro de Artagão, o quiosque Azur é meu preferido, com seus empadas de cavaca, seu vinagrete de polvo e suas panelas de moquecas… Fora a vista.

Fora a Brasserie Mimimolette, já citada no texto do Shopping Leblon.

Pam amb tomaquet, com o excelente pão da casa, no Venga! – Foto de Bruno Agostini

A Espanha é representada não apenas pelo Venga!, que abriu as portas ali na Dias Ferreira, há dez anos, e hoje se espalha pela cidade com seu menu de tapas e pratos ibéricos – e que estão cada vez melhores.

Tornedor ao Alvaro’s: filé alto, servido em molho madeira com champignon – Foto de Bruno Agostini

Portugal e Espanha, como dizia, encontram seus pratos típicos, e toda a aquele cardápio clássico do Rio, com muito polvo e bacalhau, muito filé ao molho Madeira e pastel de camarão. Encontramos esse jeito ibérico em casas tradicionais do Leblon, sempre administradas por portugueses (do Norte do país) e espanhóis (da Galícia). Representam a categoria, também chamada de Uisquerías, o Alvaro’s, meu preferido e que frequento desde sempre, o Le Coin II (não vou há muitos anos) e o Degrau. Nesses lugares os polvos são sempre deliciosos, idem para o bacalhau. E hpa de se comer pastéis. Sempre haverá badejo á belle meunière, e tantos outros clássicos. Também são lugares que despertam lembranças infantivis.

Falando em Degrau, dos meus donos é o bar vizinho, chamado Tropeço, onde há bons petiscos, uma boa opção para um chope sem grandes pretensões, com os amigos.

Os salgadinhos do velho Braca: imperdíveis – Foto de Bruno Agostini

A um tropeço do Tropeço está o Bracarense, que inaugura a nossa seleção de botecos clássicos do Leblon, já que está é uma das especialidades do bairro. Ali podemos pedir qualquer coisa, sempre escoltado pelo impecável chope do Dirceu, porém o bolinho de aipim com camarão e catupiry será sempre emblema daqui

Amanhã prosseguimos. Jobi, Galeto do Leblon, Clipper…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *