Cama e Mesa: Pousada da Alcobaça, um lugar para comer e dormir, e comer e dormir, e comer e dormir

A fachada da Pousada da Alcobaça – Foto de Bruno Agostini

O restaurante da pousada Alcobaça é uma unanimidade. Todo mundo ama.  Talvez seja o único lugar que eu conheço que é sempre falado entre amigos, e nunca ouvi ninguém dizer que não adora o lugar. Adorar, eu diria, é pouco: é caso de amor mesmo, desses que duram para sempre.

A cozinha de restaurante mais charmosa do Brasil – Foto de Bruno Agostini

A cozinha é elemento fundamental mesmo, não só por ser o lugar de onde saem os pratos, mas porque é a mais linda que eu conheço, funcionando em um restaurante. Típica de fazenda, tem um fogão a lenha que centraliza as atenções. Todo mundo tem que ir lá dar uma espiada.

O bufê do cozido no fogão a lenha – Foto de Bruno Agostini

Pois em algumas ocasiões, as melhores para se ir até lá, o fogão não apenas cozinha a comida, mas também serve de bufê para as pessoas se servirem. Melhor que isso tudo é a anfitriã, dona Laura Góes, que comanda a cozinha com seus mais de 80 anos, cercada por um time que podemos classificar de muito simpático. Acontece nas feijoadas dos sábados (que de vez em quando, no inverno, são trocadas por cozidos).

A mesa e a janela com vista para o verde – Foto de Bruno Agostini

Mas como tudo pode melhorar, comemos com vista para um cuidado jardim, que merece uma caminhada para apreciar a beleza de suas plantas – incluindo a produtiva horta que abastece tamanha cozinha – antes ou depois da refeição.

Dois livros: o de visitas e “A Cozinha da Alcobaça”: sugiro assinar e comprar, respectivamente – Foto de Bruno Agostini

Para instigar a visita de quem nunca foi. Ou para os apreciadores terem em casa as receitas de dona Laura Góes, editados de uma maneira tão linda e afetiva quanto é o lugar, com textos deliciosos e ótimas dicas aos cozinheiros amadores e profissionais, recomendo o livro que não poderia ter um nome diferente: “A Cozinha da Alcobaça – Receitas e Histórias”. Eu ainda levaria para pegar um autógrafo. Ou, então, deixaria para comprar lá mesmo. Com autógrafo, claro. Aliás… não perca, jamais, a oportunidade de bater um papo com Dona Laura Góes. Imperdível. Pegue dicas de cozinha, assunte sobre as histórias da pousada. Que delícia!

Desconhecemos cozido melhor, pela forma e pelo conteúdo, e pelo lugar e modo de serviço – Foto de Bruno Agostini

Para comer, os dias de cozido são a melhor ocasião, e como não acontecem sempre – só em alguns sábados, no inverno – o melhor a se fazer é entrar em contato com eles e pedir para entrar na lista de pretendentes. Então, você recebe um e-mail avisando da data (a próxima é no dia 13 de abril, reserve logo). Esta é uma das ocasiões especiais de a cozinha da Pousada da Alcobaça se transformar em bufê. A gente até come mais, só para ir até lá. Custa R$ 94 (mais 10% da taxa de serviço).

Empadinhas e patê, no cardápio convencional – Foto de Bruno Agostini

Nos dias normais, o cardápio é puro aconchego, e faz a gente querer abraçar os cozinheiros depois de comer. Para começar, empadinhas, sopas e caldos ainda melhores nos dias frios, e patês, pastinhas, com pães, picles geleias, tudo feito ali, com carinho e conhecimento de fogão.

Depois, o famoso lombinho, que geralmente acaba, pois ali é assim: tem prato que acaba. Além dele, coelho ao vinho tinto é outra carícia.

Em qualquer caso, peça algum prato com farofa. E, por falar nisso, a feijoada dos sábados (só em poucos tem cozido) é das melhores que se tem notícia. Senão quiser, peça farofa à parte: dá para comer de colher.

Num lugar como esse, o que mais poderia finalizar uma refeição do que um pudim de leite? Pois tem. Além das flores balançando no jardim.

No mais, é sempre bom aos não-hóspedes reservar antes, não só mesa, mas também o prato desejado, porque eles realmente acabam.

Pousada da Alcobaça – R. Dr. Agostinho Goulão, 298, Corrêas, Petrópolis. Tel. (24) 2221-1240. www.pousadadaalcobaca.com.br  (O próximo cozido acontece no dia 13/4, e custa R$ 94 – mais 10% – e ele é servido em dois horários, 13h e 15h: reservar é necessário).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *