Felizes com o retorno: “Bruno, estou com saudades de seus posts”

Tataki de Wagyu com ponzu de carne: novidade no Malta Beef Club (clique neste neste link aqui para saber mais) – Foto de Bruno Agostini

“Bruno, estou com saudades de seus posts no Instagram.”

“Está tudo bem contigo? Porque não está atualizando o site?”
Recebi muitas mensagens como essas, nos últimos meses. De amigos queridos, na maior parte das vezes, mas também de gente que nunca vi na vida.
Fiquei feliz com a preocupação das pessoas, dizendo que estava tudo bem, na medida do possível no meio dessa loucura chamada Covid-19.
Sanduíche de porco glaceado do novato Lima, o peruano do chef Marco Espinoza, na Tijuca – Foto de Bruno Agostini
A resposta era simples, e a mesma para todos.
Algo assim eu dizia.
“Puxa, obrigado pela mensagem, pelo carinho e preocupação. Tá tudo certo, só que me falta matéria-prima para escrever. Para poder postar como gosto, preciso estar na rua. Sou repórter, dependo de visitar restaurantes, provar vinhos, cervejas e drinques e de viajar para conseguir produzir conteúdo de qualidade. Quem me conhece sabe que não escrevo com base em release. Preciso ver, comer e beber para crer.
Daqui a pouco tudo volta ao (novo) normal, e logo estarei novamente escrevendo e fotografando, como gosto de fazer”.
Espaguete com bottarga, alici, azeite de limão siciliano e pangrattato: inspiração na Casa do Sardo – Foto de Bruno Agostini
Pois bem, essa hora chegou. Fiquei seis meses sem ir ao Rio, confinado – agradavelmente – na serra. Cozinhei muito, testei vários pratos, fiz solitárias e saborosas homenagens e restaurantes queridos (a língua defumada no feijão-manteiga do finado Penafiel; o borscht e o estrogonofe da Dona Irene; o rosbife com salada de batatas da Taberna Alpina; a carne assada com caccio e pepe do Irajá Redux; o joelhão de porco na cerveja do Herr Pfeffer; alguns pratos com bottaga da Casa do Sardo (foram várias vezes, diferentes receitas);  o arroz de pato do Antiquarius; o “sanguche” chicharrón com maionese apimentada do Lima Cocina Peruana, além de clássicos universais: de caesar salad a carbonara, de quibe e esfirra a cassoulet, e muitos burgers, batatas fritas em vários formatos, escondidinhos, lasanhas, porcos à milanesa – com um memorável parmegiana no dia seguinte.
Cassoulet com pato confit (as fritas foram pedido da filha) – Foto de Bruno Agostini
Confesso que ruim não estava. Mas, ainda que de agora em diante eu vá fazer algo que sempre esteve programado, publicar receitas, este não é exatamente o foco deste site.
Uh uh uh, que beleza: frigideira de frutos do Mar do Boteco Rainha, do chef Pedro de Artagão – Foto de Bruno Agostini
Mas a saudade andava apertando de dois meses para cá, quando de fato acusei o golpe da falta dos amigos, do hábito de comer fora e de estar na rua, como deve estar um repórter como eu que não publica o que não prova, nem escreve para agradar assessoria de imprensa.
Stinco de cordeiro do Esplanada Grill: como é que ainda não tinha provado isso, meu Deus? – Foto de Bruno Agostini
Pois estou voltando, e assim posso também voltar a postar nas mídias sociais e no site.
Já estou com muitas boas histórias a contar e vou compartilhar com vocês de agora em diante. Há novidades no mercado de restaurantes do Rio, vinhos memoráveis, cervejas que marcaram esses tempos de quarentena e muito mais. Só não tem muita viagem, mas só por enquanto.
Atum, ovo etc: Haru Sushi Bar ensaiando seu menu degustação, em sala especial, que será lançado em 30 dias – Foto de Bruno Agostini
Voltei cheio de novidades: Lima na Tijuca, Boteco Rainha no Leblon, e menus degustação no Malta Beef Club, no Jardim Botânico (para ler, clique aqui) e no Haru Sushi Bar, fora o Bão, que vai abrir ao lado da sala especial desse querido japonês de Copacabana, que será comandado pelo sensacional Kiko Faria; e o stinco de cordeiro do Esplanada Grill, que está há anos no cardápio, mas que eu nunca havia provado (quanto tempo desperdiçado!!!).
Negroponte Trincheira da Solidão, de James Martino Carl: elegância selvagem – Foto de Bruno Agostini
E mais: a estreia do delivery da Palace, os vinhos de James Martin Carl e de Luís Henrique Zanini,  as cervejas da Mariju, o Mitsuba chegando ao Leblon, os egressos do Antiquarius no Gajos d’Ouro, o Meu Galeto, os novos pratos do Mr Lam e muito mais. Aguardem.
Costela prime da Churrascaria Palace, que completa 70 anos em 2021 e está com serviço de entregas agora – Foto de Bruno Agostini
Obrigado, amigos.
Saudades de vocês.
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *