Liga dos Botecos recebe o chef Ignácio Peixoto, que vai apresentar a sua versão da feijoada

Os cozinheiros da casa (da dir. para esq.): Toninho do Momo; Marcelo Novaes do Cachambeer; Mariana Rezende do Bar da Frende; Bruno Vaz, chef executivo da Liga e Bruno Magalhães – Foto de divulgação / Gabriela Rodrigues

O bar Liga dos Botecos é dos mais legais do Rio, reunião de um verdadeiro Quarteto Fantástico: Bar do Momo, Botero Bar, Cachambeer e Bar da Frente. A partir do dia 24 deste mês (próximo sábado), a cada estação do ano a casa de Botafogo vai ter um menu autoral fixo de um chef convidado. Começam em grande estilo: o primeiro convidado é Ignácio Peixoto, merecidamente o atual chef revelação do ano pelo Comer & Beber pelo excelente trabalho desenvolvido no Bagatelle.

O chef Ignácio Peixoto, revelação atual pela Veja Rio Foto de divulgação / Fernanda Lima (não é a modelo)

A edição verão do evento terá uma prévia na próxima segunda, feriado de São Sebastião, padroeiro do Rio, com releitura de uma clássica receita de botequim (que é a lógica do projeto). Neste dia a Liga abrirá para almoço, com um versão autoral da feijoada: cremosa, vem com palmier de porco, um torresmo de barriga, enrolada como o doce (que é um clássico de nossas padarias: sim, palmier, só que não é doce, mas crocante como ele), além de saladinha de couve crua com cítricos como tangerina, laranja, limão siciliano (R$ 89,90 e  R$ 59,90, meia).

Chope com Colarinho na medida – Foto de de divulgação / Gabriela Rodrigues

– Basicamente a gente já estava pensando em fazer algo juntos, especialmente para almoço. Pensamos em começar no dia 20, dia de São Sebastião, padroeiro do Rio de Janeiro. Então, decidimos fazer uma feijoada, coisa bem carioca, clássico do Rio. A cultura de boteco, essa coisa de origem portuguesa, essa coisa mais caldosa.

Caipirinha estrelada, versão da casa – Foto de divulgação / Gabriela Rodrigues

Para beber, eu sugiro uma caipirinha clássica (R$ 20) ou uma versão do barman da casa, Laézio Lima: caipirinha de maracujá com carambola feita com a cachaça mineira Claudinor, da família do chef Bruno Magalhães (do Botero bar). Vale apostar ainda em outros coquetéis cítricos. Laézio manda bem, comprovei in loco nesta noite que narrei aqui.

É uma versão autoral sim (posso imaginar o palmier suíno…), mas nem tanto assim.

– Na receita não vai ter nada lá de muito diferente, não vou inventar moda nenhuma, vai ser uma feijoada estilo como deve ser, com bastante carne de porco. Vou fazer naquele estilo, grelhando as carnes, e no chamado pinga-e-frita. E curtindo durante bastante tempo. Vamos usar também uma base ácida de vinagre para dar uma equilibrada, mas será uma feijoada clássica. Vai acompanhar arroz e farofa. E a couve, vou fazer uma saladinha com cítricos, cortada bem fininha, com gominhos das frutas: limão siciliano, laranja e tangerina. Se conseguir, grapefruit também. Talvez alguns picles, para dar uma quebrada – conta o chef Ignácio Peixoto.

O salão promete bombar na segunda – Foto de de divulgação / Gabriela Rodrigues

Outros clássicos do bares cariocas estão a caminho nas próximas semanas.

– Para frente, vamos fazer para o menu de almoço algumas versões minhas para comidas de boteco.  Inclusive, o primeiro prato que vou fazer você postou recentemente: o filé à Oswaldo Aranha (para ler, clique aqui).  Eu achei muito surreal, estava estudando a história desse prato, tô com um livro com a cultura gastronômica do Rio antigo. Aí vi seu post. Farei uma versão da guarnição à francesa também, e vai ter uma polentinha com chantilly de tomate. A cada semana a gente vai fazer uma coisa nova. E com isso, conforme for, vamos divulgando – completa o chef.

A farra começa ao meio-dia.

SERVIÇO
Liga dos Botecos: Álvaro Ramos 170, Botafogo. Tel. 3586-2511.

P.S. – É tão novidade isso que nem foto da feijoada tem ainda, mas na segunda vai pipocar em sua timeline, porque com um timaço desse, vai bombar.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *