Lugares Devorados: os quatro melhores restaurantes da Rua Conde de Irajá

Oteque: ostra no vapor, com pimenta de cheiro e óleo de salsinha Foto de Bruno Agostini do Instagram @brunoagostinifoto (siga também @menu_agostini)

Botafogo é hoje o principal polo gastronômico do Rio, onde não encontramos apenas a maior diversidade de bares e restaurantes, de variados estilos, menus e cartas de bebidas, mas também muitos dos melhores endereços para comer e beber na cidade. Não à toa, por conta disso, vem sendo chamado de BotaSoho, de uns dois anos para cá. E o bairro está cada vez mais saboroso, com seus bares de vinho, seus cervejarias e hamburguerias, suas lanchonetes, cafés, delis, bares e botequins, pizzarias, gastrobares e muitos dos melhores restaurantes do Rio.

Melhor exemplo disso é a Rua Conde de Irajá, onde encontramos quatro excelentes restaurantes que representam bem essa diversidade e qualidade. E estão entre os melhores de cidade, com excelência na comida, o mais importante, mas também no serviço, no ambiente e na lista de bebidas.

A começar pelo Oteque, inaugurado em janeiro, a novidade do ano, não no Rio, mas do Brasil. Já mostramos aqui um jantar na casa do chef Alberto Landgraf, dos mais precisos que conheço, verdadeiro gênio da cozinha, que cria pratos que ficam para sempre na memória.

Continuando, descendo a rua, da Visconde Silva em direção ao Largo dos Leões, o próximo restaurante o nada menos que o Lasai, do chef Rafa Costa e Silva, outra casa de destaque não só no cenário nacional, mas no internacional, figurando em listas de melhores do mundo e das Américas, e laureado com estrela Michelin.

Pouco depois temos o Ino, que apresenta uma cozinha italiana que podemos classificar de moderna e criativa, irreverente, onde ambiente, cardápio, lista de bebidas, serviço e trilha se combinam para termos uma dos restaurantes jovens mais agradáveis do Rio. Lugar arejado, descontraído e delicioso.

Por fim, temos o Irajá, do chef Pedro de Artagão, que ao lado de seus colegas e vizinhos de rua, Rafa Costa e Silva e Alberto Landgraf, estão entre os dez melhores do Rio, em qualquer lista séria que se faça. Apenas isso.

Além desses, quarteto de restaurantes de alta categoria e de destaque na cidade, a rua comprova a citada diversidade de Botafogo, abrigando – ainda – o Ber do Belmiro, que mistura cerveja gelada, petiscos tradicionais (bem preparados) e boa música (samba, às vezes, ao vivo); e o KVA Kitchen Bar (que ainda não visitei, mas tenho escutado bons relatos), onde é seguida uma fórmula de sucesso que se proliferou pela cidade nos últimos anos, especialmente em Botafogo: cervejas e burgers (e – dizem – estão entre os melhores no quesito: vamos conferir).

—————————————MENU AGOSTINI: O QUE PEDIR?————————————

Brioche, foie gras e sardinha: a perfeição – Foto de Bruno Agostini

OTEQUE
A melhor pedida ali é mesmo o menu degustação, com harmonização de vinhos (e outras bebidas, com destaque para a coquetelaria), um deleite do início ao fim. Mas quem está com mais pressa, ou quer apenas dar uma conferida na, ou petiscar algo gostoso (delicioso é a palavra) com uns drinques, pode escolher um dos (poucos) lugares no bar, com cardápio mais enxuto. Em qualquer caso, a cozinha mostra um nível raro de se ver, com destaque para os pratos de pescados, alguns cultivados ali mesmo, em aquários. Não percas os moluscos, fresquíssimos, e com ótimos preparos, e reserve a sardinha com foie gras, de edição limitada. Para ver um post recente sobre a casa, clique aqui.
Oteque: Rua Conde de Irajá 581, Botafogo. Tel. (21) 3486-5758. Preciso reservar. www.oteque.com

O chef Rafa Costa e Silva em ação, no balcão da cozinha, o melhor lugar – Foto de Bruno Agostini


LASAI

Mesmo caso do Oteque: se é para ir, que seja no menu degustação completo, com harmonização de vinhos (que sempre tem algumas outras bebidas). Seguramente das maiores experiências gastronômicas do país, com um índice de acerto altíssimo, com pratos conjugando originalidade, beleza, equilíbrio e frescor, com bebidas escolhidas exemplarmente.  Parte dos ingredientes vem de produção própria, de uma das duas hortas que o chef Rafa Costa e Silva mantém, no Rio e em Petrópolis. O restante da matéria-prima  vem dos melhores fornecedores, dos pescados às carnes, que brilham em preparações originais. Reserve mesa no balcão da cozinha, para ver o espetáculo do serviço. Para ler um post recente, clique aqui.
Lasai: Rua Conde de Irajá 191, Botafogo. Tel. (21) 3449-1854. Preciso reservar. www.lasai.com.br

 

O salão do Ino – Foto de Bruno Agostini


INO

Olhando rapidamente o menu, com burrata, massas, risotos e muitos ingredientes italianos, a gente pense que se trata de uma trattoria moderna. Pode ser, não é má definição. Mas, olhando bem, logo vemos que não se trata de um italiano convencional. Veja só. Entre os destaque do menu estão pratos como ravióli recheado de gema caipira recheado com ricota e espinafre, com infusão de fungos e ar de parmesão trufado; o carpaccio crocante (cones fininhos recheados de carne crua, grana padano e mostarda caseira ao perfume de trufas) e burrata cremosa defumada na mesa, com limão siciliano, pesto e tomate, o mais pedido e fotografado da casa, um belo sobrado tombado. Para o prato principal, nossas apostas são nhoque de queijo Canastra, picci alla galega (páprica defumada, polvo e  linguiça), além do “capellini, boulliabaisse e vieras” (massa fresca ao molho pescados) e o polpetone, no estilo clássico paulistano, recheado de mozzarella, com molho de tomate e servido com massa na manteiga. Para encerrar, affogato (sorvete de avelã, crumble de avelã e café expresso) ou  3 x cioccolato: bolo úmido de cacau cremoso 54%, sorvete de chocolate belga e terra de chocolate.
INO: Rua Conde de Irajá 115, Botafogo. Tel. (21) 3851-6601. www.inorio.com.br

 

Churros de queijos do chef Pedro de Artagão – Foto de Bruno Agostini

IRAJÁ
A primeira casa do chef Pedro de Artagão continua sendo o seu principal laboratório de ideias, onde testa e apresenta receitas que depois vão para os restaurantes do Grupo Irajá, que antes do Natal inaugura o Al Fresco, e ele já está na sua sétima versão da salada caprese “7.0” (R$ 48), um dos destaques do menu atual, quem tem outro prato que mostra a inclinação e o talento do chef com a cozinha italiana, um risoni com polvo e aioli de linguiça (R$ 88). O chef é dos mais inquietos, e está sempre mexendo no conceito e menu do restaurante.  A última doi apostar em pratos para serem divididos. Tem entre as entradas (todas a R$ 28), churros de queijos brasileiros e toast de burrata e anchovas.  No almoço, menus caseiros, com PFs de R$ 48. Para arrematar,  um bolo (R$ 28): o clássico, de brigadeiro, ou outra sublime criação, de aipim com doce de leite e coco. No comando das bebidas, Julieta Carrizo, das mais competentes sommelières do Brasil, partidária dos vinhos brasileiros e biodinâmicos.
Irajá: Rua Conde de Irajá 109, Botafogo. Tel. (210 (21)2246-1395. www.irajagastro.com.br

 

 

Oteque: ostra no vapor, com pimenta de cheiro e óleo de salsinha Foto de Bruno Agostini do Instagram @brunoagostinifoto (siga também @menu_agostini)
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *