Seleção Carioca: os melhores brunches do Rio

O croque sinhá do Bazzar Lado B, em Ipanema: agora em cartaz na matriz – Foto de Bruno Agostini

“Venha provar meu brunch / Saiba que eu tenho approach / Na hora do lunch / Eu ando de ferryboat”

Quando Zeca Baleiro fez essa música o brunch era mesmo uma palavra exótica, restrita a alguns poucos hotéis de luxo, vocabulário exclusivo de viajantes frequentes.

Mas essa contração de café da manhã com almoço, essa refeição preguiçosa, parece que chegou ao Rio para ficar. Não só na hotelaria, não só com sotaque americano – os EUA são autoridade no assunto -, mas também com acento francês, italiano e desde a semana passada, com a mais autêntica ginga carioca: o ipanemense Bazzar entrou nessa onda.

Mesa posta no Bazzar: R$ 150, em três etapas (com bebidas alcoólicas incluídas) – Foto de divulgação / Rodrigo Azevedo

Nos domingos de inverno o restaurante vai servir um brunch, que acontece junto a uma feira de produtores, com fornecedores da casa, a partir das 10h. O cardápio regular continua em cartaz. Funciona assim. Por R$ 98 você tem dois serviços. O primeiro, com pão de fermentação natural, geleia da casa,mel, manteiga e requeijão Aviação e queijo minas do Sítio Solidão.

Ovos e ovas – Foto de divulgação / Rodrigo Azevedo

Depois, iogurte com granola, salada de frutas da estação, ovos caipiras mexidos com bottarga brasileira, omelete de claras com salada de brotos, bolinho de laranja molhadinho. Água com e sem gás, cafés, sucos, chás e infusões estão incluídos no preço. Por R$ 150 é servida uma etapa a mais. Além de bebidas alcoólicas: tem serviço livre de espumante brasileiro, bellinis, mimosas e um drinque criado pelo sommelier Ivo Arias: o Tangerini tem espumante brasileiro, redução de tangerina, maçã verde e sementes de coentro. E aí você escolhe o que quer: peixe do dia fresco com coalhada seca, cebola roxa e funcho; terrine de foie gras com compota de banana; linguiça da Pavelka com salada de batatas; croque sinhá; sanduíche aberto de hummus de feijão verde com tomatinhos marinados e mini cenoura; sanduíche aberto de carne do sol com queijo de coalho.

Croque do padeiro com café passado na hora: ô, sorte – Foto de Bruno Agostini

É uma excelente pedida para o Dia dos Pais, bem como os lugares citados no nosso post sobre os melhores cafés da manhã do Rio (para ler, clique aqui): Empório Jardim, Casa Carandaí, Talho Capixaba e The Slow Bakery.

Ovos beneditos, no Empório Jardim – Foto de Bruno Agostini

Outra coisa que combina com brunch, aliás, é a cara dele, são os ovos beneditos – tema de outro post recente – porque adoramos essas refeições, e adoramos ovos, e adoramos começar bem o dia. Térèze, Formidable, Arp, Empório Jardim (amamos esse lugar) são os escolhidos. https://menuagostini.com.br/classico-da-hotelaria-de-luxo-saiba-onde-comer-ovos-beneditos-perfeitos-no-rio-de-janeiro/ 

Cavaquinha na brasa – Foto de Bruno Agostini

A onda do brunch chegou mesmo com força ao Rio, e não se restringe mais aos hotéis. Nós recomendamos com entusiasmo o que é servido no Copa, tema de nossa coluna Cama e Mesa da semana passada. Ainda não provamos, mas gozam de boa fama outros dois brunches dominicais de hotéis da Avenida Atlântica: no Alloro al Miramar (Renato Ialenti é infalível) e no Émile, no Emiliano.

No Al Fresco o pão de queijo tem sotaque italiano – Foto de Bruno Agostini

Mas há lugares em que o que podemos chamar de brunch é servido todos os dias. No Empório Jardim (ele de novo!), com seus ovos de mil maneiras deliciosas, seus pães, drinques e outras gostosuras, e também em duas casas do Grupo Irajá, ambos no Leblon: no Formidable Bistrot, com sotaque francês, e no Al Fresco, com acento italiano.

O serviço do Venga!: farto, pode até dar para duas pessoas (só pedir uma Mimosa a mais). Por R$ 59 – Foto de Bruno Agostini

Por fim, outro brunch com inspiração europeia é servido nos fins de semana no Venga Chiringuito, em Copacabana (também já foi assunto de post aqui).

Pan de queso Manchego: nos fins de semana, no Venga – Foto de Bruno Agostini

Vários desses, por sinal, fizeram parte de nossa lista com os dez melhores pães de queijo do Rio.

Porque como já dissemos antes: adoramos brunch, adoramos café da manhã, adoramos pão de queijo, adoramos bons hotéis, adoramos começar bem o dia, e adoramos brindar à vida com espumantes, mimosas e outras cachaças.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *