Vinho da Semana: Rossetti Rosso Toscana, um coringa para a cozinha italiana tradicional

Rossetti Rosso Toscana: versatilidade à mesa na Casa Tua – Foto de Bruno Agostini®

Os vinhos da Toscana têm vocação natural para a comida. De modo geral, seus tintos são grandes companheiros da boa mesa, desde os mais simples até os mais parrudos, maduros e potentes. Na região, observando apenas os tintos, encontramos essas duas vertentes, mas quando falo dos vinhos que harmonizam muito bem, com grande variedade de pratos, estou me referindo aos mais simples, nada de supertoscanos aqui. Trato da Sangiovese, em especial, mesmo que tenha algumas outras uvas na composição, tanto nativas, como a Canaiolo Nero  quanto estrangeiras,  como Merlot e Cabernet Sauvignon.

Esta casta típica da Toscana é ideal para massas, de modo geral, mas sobretudo aquelas com molho de tomate. Mesmo um simples espaguete al sugo. Mas também, por exemplo, um amatriciana perfeito, um ragu clássico, mas assim como molhos mais encorpados, como os preparados com carnes como rabada e cordeiro.

Para pizzas, igualmente, os vinhos Toscanos feitos com a Sangiovese são curingas. Podem ir bem tanto com uma marinara quanto com uma preparada com peperoni picante.

A chave do sucesso da Sangiovese é o seu natural equilíbrio entre acidez e a textura, jogando frescor na boca, e deixando um rastro de taninos macios, sedosos, desses que ajudam as garfadas a ganhar a boca, com presença.

É meritoso ser um Rosso Toscano 2020 como o da Tenuta Rossetti, que provei há alguns dias, no nobre salão da Casa Tua, novidade na Barra, que reúne o maître Alves e Alexandre Accioly a muitos e muitos ex-funcionários do grupo Fasano, um sucesso desde a inauguração. (Para ler um post, clique aqui).

Com predominância de Sangiovese, e um pouco de Merlot (10%), o vinho tem muitas frutas vermelhas, com cerejas e framboesas, mas também apresenta notas de especiarias, mesmo sem estágio em barricas, e algo de violeta. Com 12,5%, tem presença, mas é delicado. Um vinho gastronômico, que enobrece um churrasco.

Primeiro ato: com a massa de vitelo, com roti e fonduta – Foto de Bruno Agostini®

Foi fácil notar a aptidão para a comida deste vinho logo com a massa, um tortelli di faraona (galinha d’Angola) con fonduta di burrata e tartufo nero, com o molho do assado. Uma massa encorpada, longe de ser simples, apesar do recheio extremamente delicado. Tem textura e sabores complexos, e o vinho, cheio de fruta, acidez e frescor, fez bonito, com seus taninos amaciando a gordura, igualmente domados pela acidez que ajuda a limpar o paladar.

Escrevi assim, sobre o almoço, em meu Instagram (@brunoagostinifoto), com marcações e hashtags: “Almoço impecável, legitimamente italiano, perfeito pro outono fresco do Rio. Na taça, @tenutarossetti @worldwine
E, no prato… antes desse ossobuco de vitelo, delicioso, com risoto alla milanesa, cremoso que só, tive o prazer de garfar um tortelli di faraona con fonduta di burrata e tartufo nero, com o molho do assado.
Perfeito.
@casatuabrasil @alves_atagerdes @cesarpasolini22 @men_santos @menu_agostini
#omelhordorio #selecaocarioca #riodejaneiroadezembro #agostiniindica”

 

Segundo ato: ossobuco com risoto alla milanese – Foto de Bruno Agostini®

Então, hora do Rossetti mostrar seu alto gabarito nas mãos de um sommelier (Cesar Pasolini que indicou), com um prato mais vigoroso, perfeito para fazer brilhar ainda mais aquela tarde de sol linda que fazia. A luz natural e outonal invadindo o salão da Casa Tua, dando ares de catedral a este novo templo da gastronomia italiana no Rio, com muito bem executado repertório de receitas clássicas.

Poderia haver um tinto parrudão à mesa. Com ossobuco, até um Solaia vai bem, ora bolas. Mas, não precisa. Com esse Rosso Toscano, a estrela era o prato, imponente em sua delicada harmonia de sabores. Ao vinho, cumpria o nobre papel de arredondar tudo, sem roubar a cena, servindo de coadjuvante. Porque, muitas vezes, vinho deve ser discreto como um árbitro de futebol que precisa terminar a partida sem ser notado.

Um belo vinho, que ajuda todos nós,  companheiros da boa mesa.

Custa R$ 107 no site da World Wine (neste link), a sua importadora, e pode ser apreciado em muitos dos melhores restaurantes do Rio, como a Casa Tua.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.