Cama e Mesa: Casa Marambaia, em Petrópolis, um hotel fora de série com um restaurante ainda mais

O extraordiário cassoulet de boas-vindas – Foto de Bruno Agostini®
Ainda sobre ontem… e hoje pela manhã.

Fiquei muito impressionado com a cozinha da Casa Marambaia, que já posso colocar entre as melhores do Rio.
No mais alto nível.
Tudo o que comi ali estava muito bom. Destaco, ainda, o serviço muito atento e simpático, eficiente e elegante. Fora o hotel em si, também de impressionar.
Temos excelentes hotéis fora da capital, na serra e nas praias. Mas a comida nunca alcança o nível exigido em hospedagens de luxo. Podemos ter como única exceção o trabalho de Gonçalo Vidal em Búzios, à frente do restaurante 74, na pousada Casas Brancas. E só.
Para início de conversa, quem cuida da cozinha são dois dos melhores profissionais do ramo. Os franceses Rolland Villard na supervisão geral e David Mansaud na operação do dia-a-dia. Dispensam apresentações, são donos de currículos notáveis.
Ontem tive um almoço fora de série, uma refeição impecável, que começou com o ovo pochê “perfeito” em fondue de queijo serrano e pesto de ervas frescas. Depois, o cassoulet (foto 1) me emocionou: o melhor que já comi no Brasil, em porção farta que para mim serve duas pessoas. Espetacular. Com barriga de porco, linguiça artesanal (excelente) e pato confit, com tempero preciso, onde a pimenta-verde cumpre papel de destaque.Terminei com uma bela composição de chocolate, cupuaçu e flores.
Em seguida, fui apresentado aos sócios da Parnaioca, um produtor de rum nacional que vem dando o que falar.
Então, fui ao bar. E logo vi que a coquetelaria ali também é levada a sério. Primeiro, com uma ótima caipiríssima feita com o rum, leve, delicada e refrescante. Teve, ainda, um shot do limoncello da casa, preparado pelo sommelier
De noite, um Bloody Mary muito bom foi o aperitivo do jantar.

Sobre o ele, escrevo nos comentários.

E, a respeito do café da manhã, também.
Se não for possível se hospedar, vá ao menos ao restaurante. Com o perdão do clichê: vale a viagem. Que nem é tão longa assim. Depois me conte, e agradeça.
Primeiro, o jantar.

Depois de um belo Bloody Mary no balcão do bar, fui até a mesa. Ali, recebi amuse bouche, uma terrine de salmão muito da boa.
E, entre os pratos escolhidos já durante o almoço eu fui no vol-au-vent de palmito, cogumelos, peito de frango e bechamel com queijo. Lindo, delicioso.
A famosa adega tem uma mesa e funciona sob reservas – Foto de Bruno Agostini®
Foi quando pedi para ver a famosa adega, onde existe uma elegante mesa, para refeições exclusivas, em menus que podem ser de sonho (veja no site, há diferentes degustações, e uma delas como se fosse alfaiataria, feita sob medida para o cliente, como pratos, vinhos e preços – acima de R$ 1 mil a serem combinados).
Então, veio o polvo. Textura e sabor perfeitos. Quem me acompanha sabe que polvo está entre os meus ingredientes preferidos. Como sempre, tem semanas que quase diariamente. Posso dizer com certa autoridade que este é dos melhores. Me deixou comovido o molho de tomate da guarnição, composta ainda por batatinhas calabresas ao alho, aspargos e cogumelos. Simplesmente excepcional.
Queria a pêra caramelizada sobre brioche de amêndoas e sorvete de chocolate, mas estava satisfeito, o polvo também era bem grande, a exemplo do cassoulet (para mim, serve duas pessoas, se comerem ainda entrada e sobremesa).
Sobre o café, ainda há pouco…
Mesa posta para o café que deve ser apreciado lentamente – Foto de Bruno Agostini®
Depois de uma bela caminhada seguida de uma ducha restauradora, desci para o restaurante.
Logo pedi meus eggs benedict, com salmão defumado. Ovo no ponto perfeito, uma hollandaise sauce impecável, cremosa, aerada e acidinha do jeito que eu gosto, e com salmão de qualidade.
Mas, antes deles, a mesa foi tomada por um serviço grandioso.
Primeiro, o amanteigado brioche, com manteiga francesa, flor de sal e requeijão da casa.
E depois foram vindo: pães de queijo, queijos de qualidade (e nozes carameladas incríveis), frios variados, pratinhos com doces variados e biscoitinhos, granola, iogurte, mel, geleia, bolo, suco de laranja…
Foi um deleite.
Egs benedict: perfeitos! – Foto de Bruno Agostini®
Duro é descer a serra rumo ao inverno que é o Rio de outubro em diante, e até abril.
O sonho acabou…
(Foto da mesa e vídeo dos eggs benedict nos Stories: amanhã publico no feed, junto com fotos variadas da Casa Marambaia – que já me deixou com saudades. Pura magia. Impressionante mesmo. Que lugar, senhoras e senhores! Que lugar!!! Parabéns aos envolvidos).
* Este texto foi escrito na manhã do dia 23/11/21, para o Instagram @brunoagostinifoto
SERVIÇO
Casa Marambaia: Rua Dr. Agostinho Goulão, 2098, Corrêas, Petrópolis. Tels.: (24) 2236-3650 e 99965-2115. E-mail: reservas@casamarambaia.com.br   casamarambaia.com.br
Instagram: @casamarambaia
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *