Cozinha em Revista: Gioia, uma casa italiana com jeitinho carioca na Ilha da Gigoia

O quarteto de tentáculos de polvo al dente, com o Compromisso, no meio do aprazível jardim: não tem preço – Foto de Bruno Agostini®
Você pode ir de metrô. O embarque para a ilha da Gigoia é a cinco minutos de caminhada do desembarque do trem. Eu fui andando, porque moro ali, na mesma rua, inclusive. Entrei pelos fundos. Muito melhor ir de chalana, que eu sei. O passeio pela lagoa é sempre aprazível, um início mais agradável.
Ir ao Gioia é uma experiência que começa no cais, entre um centro comercial e um posto de gasolina, que por sua vez são vizinhos do metrô e do Barra Point, respectivamente. @gioiacucinaitaliana
Tive um almoço muito feliz, desses que não podem acabar nunca. Um trio de mulheres responsáveis pela casa –  literalmente é lar de Rita Simpson, que comprou a sua residência em 1998. Tem Anna Belle de Paula como sua assistente.
O restaurante abriu as portas, ou melhor, franqueou seu pequeno cais aos visitantes, há seis anos. Teve um chef italiano como o idealizador e primeiro cozinheiro. Logo veio a jovem Ingrid Lemos.
Anéis de lulas empanados em massa temperada, com delicioso molho de tomate picante – Foto de Bruno Agostini®
Ela está lá até hoje, e me serviu de entrada lulas empanadas com um apimentado molho de tomate, delicioso.
No principal,  raramente resisto ultimamente quando vejo polvo no menu. E fui nele. Certeiro. Tentáculos tenros, não demasiadamente cozidos, no ponto exato: eu poderia definir como al dente, o que não é usual em se tratando de animais, mas adequado para se dar ideia do que falo.
Ele fica 40 minutos em perfumado caldo, cheio de temperos: uma laranja inteira, que entrega suas notas cítricas ao prato, cebola, vinho branco e muitas outras especiarias.
Estava ótimo com o Loureiro da Quinta da Lixa, o Compromisso. @quintadalixavv
A saborosa caipirinha da casa e a chef Ingrid Lemos, formada pelo Senac-RJ – Foto de Bruno Agostini®
Ainda mais com a vista, e as três citadas companhias. O canal pacato com os barquinhos a cruzar, o verde da Pedra da Gávea, e um quintal arborizado, que não dá vontade de deixar. Tudo conspirou a favor, incluindo aí as batatinhas douradas e especialmente os tomatinhos confitados – o grape, maduro, docinho, delicioso, aquilo mesmo o que um tomate deve ser.
Finalizei com caipirinha de uva com limão siciliano e manjericão. Caipirosca, na verdade, era com vodca, na próxima vou de cachaça.
Levanta-me! Um tiramisù às margens do canal, para encerrar – Foto de Bruno Agostini®
Mentira… fechei com chave de ouro. Negro. O café,  com um belo tiramisù. Servido com vista.
Em breve conto e mostro mais no @menu_agostini
#selecaocarioca #omelhordorio #menuagostini
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.