Vinho da Semana: Morgado da Vila Escolha 2018 e o porco – Feitos um para o outro

Morgado da Vila Escolha 2018: versátil à mesa – Foto de Bruno Agostini©

Riesling com porco é uma combinação clássica. Vinho Verde também é outro casamento perfeito com toda a família suína: leitões, porcos, javalis, queixadas, catetos e outras espécies “selvagens”. Quando pela primeira vez eu provei uma garrafa de Morgado da Vila Escolha, o corte de Loureiro, Alvarinho e Trajadura, com sua potência aromática e coloração dourada, apresentando acidez marcante e estrutura, eu logo pensei em Riesling. E na carne de porco.

O leitão de criação orgânica é recheado com lombo, salame e miúdos – Foto de Bruno Agostini©

Por sorte, naquela tarde fresca de inverno eu estava na Casa do Sardo, em São Cristóvão, restaurante que chamo de lar, por tanto que frequento. Sim, era dia de leitão. Mas, geralmente, o porquinho de criação orgânica, no interior de São Paulo, que antes só era servido às quintas e sextas, e muitas vezes não tinha mais no sábado, agora está regularmente no menu, porque a produção cresceu um pouco, toda ela especialmente para o chef Silvio Podda, que esteve lá recentemente, aliás, no sítio, próximo a São José dos Campos. Naquela quarta-feira, quando conheci os seis vinhos da Quinta da Lixa, havia uma versão do leitão que o sardo só faz em ocasiões especiais: recheado. Sobre este prato, já escrevi aqui. Voltemos ao Morgado da Vila. Quando o provei, foi imediata a associação com a Riesling, bem como com a carne de porco. Comi meu prato de leitão, recheado com miúdos, cogumelos e temperos, gemendo de prazer, e empunhando uma taça de Morgado da Vila Escolha. Provavelmente, duas. O vinho tem uma carga aromática enorme, mas delicada. Do copo saltam notas cítricas, de frutas como limão siciliano, melão e toranja (ou pomelo, grapefruit, como queiram) e alguma coisa mineral, e também floral. É fresco, com a tipicidade da região do Minho, porém apresenta uma personalidade forte, o que lhe torna um vinho original e versátil.

Ficou perfeito com o polvo delicioso do Galeto Rainha, no Leblon – Foto de Bruno Agostini©

Acho perfeito para um aperitivo, ótimo com peixes e frutos do mar em diversas formas de preparação, e também combina com queijos frescos, especialmente os de sabor mais marcado, como de cabra. Saladas que usem queijos como esses, ou carnes curadas, como peito de pato, jamón, alici, bottarga etc, também são ótimas companhias para o Morgado da Vila Escolha. E, de uma maneira geral, vai bem com pratos asiáticos, com seus sabores agridoces e picantes, suas frituras e pratos de porco ou de pescados.

Porém, por mais que seja um coringa à mesa (provei com cordeiro na brasa e fica excelente também), eu fiquei com a impressão que o porco é o que mais seduz o vinho. A acidez equilibra e enaltece a gordura, o frescor dá leveza ao conjunto, o perfume tempera o prato e o porco, este… Eleva o vinho a outro patamar.

Importado pela Nossa Quinta, da família dos proprietários da Quinta da Lixa, o Morgado da Vila 2018 está disponível em lojas como o Excelente Farrapos Wine Bar (3518-2654) – que já foi tema de posts aqui) -, em Copacabana. Sugiro que prove com as lulinhas salteadas, a sardinha marinada e também com a moules frites da casa, tudo muito bom. Vai por mim…

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.