De Bar em Bar: Brewteco cresce, aparece e vai ficando cada vez melhor

Saúde, com a APA da casa: a casa tem ótima seleção de preços – Foto de Bruno Agostini©

Eu conheci o Raphael Tomaz, sócio do Brewteco, há uns dez anos, quando ele me chamou para apresentar as cervejas catarinenses que estava representando.  Um tempo depois me escreveu novamente anunciando uma novidade que me entusiasmou: era o primeiro desses botecos, que manteria o menu original do pé-sujo que ele acabara de comprar, no Leblon, mas teria uma bela seleção de cervejas artesanais brasileiras.

Bolovo do Brewtwco, inaugurado em dezembro – Foto de Bruno Agostini©

Bingo, pensei. Que ótima ideia. Só não sabia que o Brewteco se espalharia pela cidade. Hoje já são quatro unidades. Além da primeira casa, a menor entre todas, ele arrematou bares na Barra, na Tijuca e, no fim do ano passado, salvou da morte o moribundo Hipódromo, decadente já há bastante tempo. Inclusive o Rafael foi alvo de uma jornalista covarde cujo nome não cito porque não quero sujar este site com tão feia pessoa. Como se a morte do Hipódromo fosse culpa dele, que inclusive manteve a equipe, como fez com os outros bares que foi adquirido nesta trajetória que eu acompanho desde o começo (quando fui pela primeira vez ao Brewteco sequer havia letreiro.

Refeição de rabada no Brewtco: Double IPA acompanha – Foto de Bruno Agostini©

Virei cliente. Se estava no Leblon com tempo livre passava lá para beber uma cerveja. Também virei fã da rabada, servida às quinta, das melhores do Rio (neste link tem post com as melhores rabadas).

Só não estive, ainda, no Brewteco da Tijuca, famosa por seu agradável biergarten no melhor estilo alemão.

Na minha última ida ao Rio, em dezembro, antes de voltar a me confinar diante do aumento do número de casos de Covid, estive lá na nova casa da Gávea. Teve gente qye chiou por conta do fim do Hipódromo. São meio doidos… fechou uma porcaria e abriu um dos melhores bares do Rio, com a maior e melhor seleção de cervejas on tap da cidade (aqui um vídeo com a seleção de hoje), praticamente todas elas produzidas no Estado do Rio. Eu agradeço e aplaudo.

Polvo do Brewteco, na Gávea… sem palavras… – Foto de Bruno Agostini©

Só um bela seleção de cervejas já me basta para ir e gostar de um bar. Mas além disso o serviço está muito bom, e o que é melhor: a comida é excelente, com destaque para a vistosa parrilla onde são assados cortes nobres de carne, e também tenros tentáculos de polvo.

O cardápio (veja no final do post) já foi renovado desde a inauguração, em dezembro, quando o João de Deus Lopes,o famoso Boi, foi vencedor do prêmio Comer e Beber, da Veja Rio, como melhor garçom (por conta do trabalho que fazia nos tempos de Hipódromo: é um dos remanescentes da equipe).

As pizzas do Hipódromo que sempre tiveram clientela fiel, também foram mantidas. E o cardápio curto e certeiro tem coisas lindas, como o bolovo de porco, refeições a preços honestos e outros petiscos que me deixaram com vontade de zerar o menu.

SERVIÇO
Brewteco Gávea: Praça Santos Dumont 106, Gávea. Tel.: 3594-3642. brewteco.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *