Chef Marco Espinoza três em um: chef serve comida peruana, chinesa e argentina em Botafogo

Ancho com cremoso purê de milho e queijo: destaques do menu do El Chaco – Foto de Bruno Agostini

Nascido em Lima, no Peru, o chef Marco Espinoza passou alguns anos na Argentina, onde estudou gastronomia. Depois de anos dedicado exclusivamente à cozinha de seu país natal, com o Taypá, em Brasília, além do Lima Cocina Peruana, com matriz no Rio e filial em São Paulo.  Em 2018 ele apostou numa parrilla argentina, El Chaco, na capital paulista, que no ano passado chegou ao Rio, na mesma Rua Visconde de Caravelas em Botafogo, onde está o Lima. Aproveitando a cozinha espaçosa do El Chaco, ele lançou há pouco tempo, o Cantón – único representante da culinária chamada Chifa – que a rigor é a culinária da China que encontramos no Peru (a rigor, o cardápio é praticamente igual ao que encontramos em restaurantes chineses, com poucas variações). Os três têm serviço próprio de entrega, nos telefones 3647-3411 (Lima) e 2539-1595 (El Chaco e Cantón).

Alegria suína: imperdível copa-lombo glaceada – Foto de Bruno Agostini

O Cantón nasceu para ser apenas um serviço de entrega no iFood, mas o sucesso fez o chef – e empresário – começar a buscar um endereço físico para a marca. Já tratamos o assunto neste post aqui. https://menuagostini.com.br/selecao-carioca-os-quatro-melhores-restaurantes-chineses-do-rio-e-o-primeira-cozinha-chifa-do-brasil/

– Quero fazer um legítimo peruano-chinês, com muitos pratos clássicos peruanos – conta o chef.

Won ton de porco, com molho de pimenta – Foto de Bruno Agostini

Destaco o sanduíche de barriga de porco glaceada e picante (por R$ 9,90), o won tan de porco com frango (R$ 20), crocante e saboroso, e o arroz del diablo (R$ 29), de camarão, frango e ovo. Outra pedida apetitosa são os frangos crocantes, em forma de sanduíche (R$ 9,90) e petisco – coxa desossada empanada em panco, com especiarias e molho canton picante (R$ 19). O menu está nesse link aqui.

Simples assim: as melhores empanadas que já provei no Rio, no El Chaco, parrilla argentina – Foto de Bruno Agostini

Do El Chaco eu começaria indicando de cara as melhores empanadas que já comi no Rio, especialmente as de carne (R$ 7,50 a unidade). A linguiça picante (R$ 29) é outro destaque, e ali encontramos uma raridades em nossas mesas, iguaria pela qual sou apaixonado: molejas (timo, em português, sweetbread, em inglês, riz de veau, em francês, e animielle, em italiano. Custa R$ 30).

Morcilla e molleja, duas raridades em nossas mesas – Foto de Bruno Agostini

Também tem morcilla, o embutido de sangue, outra paixão minha que é difícil de achar no Brasil (R$ 34). Entre as carnes, ancho (R$ 69), bife de chorizo ou asado de tira (R$ 67) seriam minhas escolhas. Porém, eu jamais deixaria de pensar na deliciosa milanesa de mignon (R$ 40). Para acompanhar, arroz Biro-Biro; batatas fritas ou à provençal, com alho e salsa; farofa de ovo, além de creme de com queijo (tudo a R$ 12). Fora o purê Al Chaco, com batata, espinafre, cogumelo e parmesão. Tem burger? Também tem, um classicão (R$ 32). Para encerrar, a grande dúvida panqueca de doce de leite ou churros, também com o doce? Essa bola deixo contigo, e ambos custam R$ 19. Pedidos nesse link.

O Lima é um restaurante que já fui muitas e muitas vezes. E agora, como todos, está funcionando só no sistema de entregas. Difícil escolher ou indicar o que pedir. Sou um apaixonado pela cozinha peruana, que julgo uma das mais interessantes do mundo, uma combinação dos ingredientes e técnicas culinárias do Peru com influências estrangeiras diversas, sobretudo japonesa, chinesa, espanhola e italiana. Assim como foi a Sardenha, tema do post de ontem, minha viagem ao Peru foi um das mais incríveis que fiz na vida. Foram quatro dias intensos, e neste post há vários links para os textos que fiz a respeito.

Para essa Semana Santa estão com boas promoções. A farta parihuela, de R$ 150, está por R$ 99 (dá para três). Uma sinfonia marinha, com peixe, lula, camarão, pimentas, mandioca, arroz, tudo em um caldo perfumado. Já o salmão Nikkei (que é o cruzamento da cozinha do Peru e do Japão), leva o peixe,  com molhos de ostra e de soja, gengibre, purê de batatas e cogumelos.

Cevhiche sureño: destaque para o molho – Foto de Bruno Agostini

O menu passeio por clássicos imperdíveis, começando pelo ceviche, que aparece em cinco versões, da mais tradicional, com peixe branco, leite de tigre, cebola roxa e batata doce (R$ 42,90); o misto, com peixe branco, polvo, camarão, lula, leite de tigre e molho de pimentão vermelho (R$ 48,40), o sureño, meu preferido, por conta do delicioso molho, feito com peixe branco com leite de tigre cremoso com pesto de gergelim apimentado (R$ 42,90) e mais duas versões.

Para começar, as yuquitas são bolinhos de mandioca, com recheio de gorgonzola e molho cremoso de camarão e alcaparras (R$ 63,80). Ou, ainda, o Pan de porco, sanduba de pão de queijo com porco glaceado e vegetais, acompanhado com molho de pimenta rocoto (R$ 42,90, quatro unidades). Outra boa pedida é o ají de galinha: Peito de frango desfiado com molho de pimenta amarela, creme de leite e queijo parmesão com batata e ovo cozido com arroz (de R$ 38 por R$ 28). Ou a causa de atum: batata amassada com limão e pimenta amarela, recheada de atum, cebola e maionese (De R$ 28 por R$ 18).

O atún del Pacífico: cremoso e cremocante, malpassado e delicioso – Foto de Bruno Agostini

Entre os pratos principais, não poderia jamais faltar o lomo saltado, mignon grelhado com salteado com cebola roxa, tomate, molho de soja e vinagrete com batata frita e arroz (R$ 74,80). Pulpo a la Brasa, polvo na parrilla, com molho de limão cremoso e batatas amassadas com alcaparras e cebola (R$ 85,80), panceta, barriga de porco com molho de ervas, sobre purê de milho e crocante de milho (R$ 68,20), Atun del Pacifico, com o peixe malpassado, purê de batata trufado, molho de cogumelos e alho chino (R$ 75,90).

Representando a influência italiana, camarones ítalo-peruanos: linguini com molho de camarões e ovas de salmão (R$ 81,40).

Churros, para chuchar nos cremes – Foto de Bruno Agostini

Para terminar a farra, churros morados: massa feita com farinha de milho roxo, e frita, servida com molhos peruanos (doce de leite, creme de três leches e mazamorra morada) – por R$ 24,20.

Detalhe: dá para pedir pisco sour (R$ 31). Detalhe 2: o menu também oferece os pratos do Cantón, afinal, peruano é. Tem, ainda, boa seleção de vinho. Vou citar um dos meus preferidos. Vallontano Brut, dos melhores espumantes nacionais do mercado (R$ 99).

Pedidos por esse link.

Confesso: nunca é fácil escolher. Em nenhum desses três lugares.

SERVIÇO
Lima Cocina Peruana: Rua Visconde de Caravelas 89, Botafogo. Tel.: 3647-3411. https://www.limacozinhaperuana.com.br/
El Chaco: Rua Visconde de Caravelas 113, Botafogo. Tel.: 2539-1595 (número vale para pedidos também do Cantón).

 

1 comentário
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *