Parabéns para você: Silvio Podda, da Casa do Sardo, completa dez anos de Brasil e reabre o restaurante

Silvio e seu leitão assado, orgânico e de criação própria – Foto de Bruno Agostini

“Hoje está completando dez anos que cheguei no Brasil”, me diz o amigo Silvio Podda, da Casa do Sardo.

A intenção inicial era abrir uma sorveteria, o que acabou acontecendo com a inauguração, há cerca de dois anos, da padaria Il Pane E Gelato Sardo (https://www.facebook.com/ilpaneegelatosardo), quase defronte ao restaurante, em São Cristóvão, que durante a quarentena ampliou a sua área.

Bottarga com aipo, na Casa do Sardo: o prazer da simplicidade – Foto de Bruno Agostini

É, para mim, um dos melhores restaurantes da cidade, com excelente comida, preços atraentes e um ambiente autêntico, com carta de vinhos adequada (muitos vinhos da Sardenha) e um serviço caloroso e cordial. Desde que fui pela primeira vez o lugar me encantou, e ainda mais depois que estive na Sardenha com o chef autodidata (todo mundo na Sardenha ama a comida, e voltei de lá com a impressão de que todos sabem cozinhar, e muito bem: impressionante, nunca vi nada igual em qualquer outro lugar).

Vôngoles al Vernaccia: dos melhores pratos dos últimos tempos – Foto de Bruno Agostini

Silvio preparar pescados, sempre muito frescos, com raro talento. Tem criação orgânica de leitões e cordeiros, que ele assa impecavelmente. Massas? Junto com os citados, são especialidade da casa. É o maior vendedor de bottarga do Rio, essa iguaria tradicional dessa ilha italiana, onde se come maravilhosamente bem (todos os que apreciam a boa mesa PRECISAM visitar a Sardenha).  Procure por pratos de vôngole, porque eles são a glória (meu preferido: o espaguete com vôngole e bottarga, ao perfume de limão siciliano). Peça bottarga com aipo e azeite, para começar: a glória da simplicidade. Tem carpaccio de polvo delicioso…  Fregola, massa de sêmola típica da Sardenha, merece atenção, e aparece em diferentes versões.

O pargo al Vernaccia – Foto de Bruno Agostini

Pargo ou cordeiro assados no vinho Vernaccia são excelentes pedidas. La Voglia di Mare é um espaguete com polvo, lula, mexilhão, camarão ao molho de tomate: sublime! Pergunte pelos dias do leitão (que aparece também na foto de capa deste post), geralmente sexta.  Se disponível, considere pedir o linguine com cavaca. Outra especialidade da ilha são os culurgiones, espécie de ravióli com massa fresca artesanal, recheada com batata, queijo pecorino e hortelã: delícia. Risotos? Também recomendo.

Tiramisu impecável, dos melhores da cidade, com mascarpone caseiro – Foto de Bruno Agostini

Para encerrar, tem tiramisu, dos melhores da cidade, cannoli de pistache e panna cotta com calda de amora.

Como gosto desse lugar, e quantas saudades, vivendo essa quarentena em Teresópolis. Em breve estaremos de volta, mas ainda vamos esperar a situação melhorar um pouquinho.

Neste link há vários posts sobre o restaurante.

E neste, o menu do iFood (eles também têm entrega própria, nos números 2501-9848 e 3042-8049, com seis motoboys (prefira esse serviço).

Silvio, meu amigo: parabéns pelos 10 anos de Brasil!

Destaco esses posts neste Menu Agostini:
Menu Agostini: um irresistível cardápio regado a Vernaccia na Casa do Sardo
Vai por mim: a Casa do Sardo é uma das melhores pedidas para receber boa comida no conforto do lar
Seleção Carioca: os melhores pratos com vôngoles do Rio
Seleção Carioca: os três porquinhos (os melhores leitões do Rio)
O melhor da Sardenha: comidas, bebidas, histórias e, principalmente, pessoas
Vinho da semana: Contini Componidori Vernaccia di Oristano 2013
Vinho da Semana: Argiolas Merì Vermentino di Sardegna 2017

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *